Assassinatos caem no Vale, mas região segue a mais violenta do interior de SP

Foram 349 mortes no ano passado, 23% a menos do que em 2016, quando foram 453.

26 JAN 2018   |   Por Jornalismo  |   09:25
Foto: Divulgação/PM
Assassinatos caem no Vale, mas região segue a mais violenta do interior de SP
Número de mortes caiu em 2017 no Vale do Paraíba

O número de vítimas de assassinatos caiu no Vale do Paraíba em 2017, em relação a 2016. Foram 349 mortes no ano passado, 23% menos do que em 2016, quando foram 453. Contudo, o Vale do Paraíba continua como a região mais violenta do interior de São Paulo.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgou na tarde desta quarta-feira (24) os dados referentes a dezembro de 2017, e consequentemente o balanço do ano.

Segundo a SSP, foram 328 vítimas de homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) e 21 de latrocínio (roubo seguido de morte). Em 2016, foram 428 homicídios e 25 latrocínios.

Apesar da queda, o Vale ainda tem os maiores índices de violência entre as nove regiões do interior paulista. A segunda região com mais assassinatos em 2017 é Campinas, que teve 302 vítimas. Ribeirão Preto teve 278. A região com menos mortes foi Presidente Prudente, com 54 casos.

Roubos

 

O número de roubos e furtos também caiu no Vale do Paraíba no ano passado. Foram 11.994 roubos em 2016 e 9.987 em 2017. No caso dos furtos, o número caiu de 26.082 para 25.525 de um ano para o outro.

Já os casos de estupro subiram de 554 para 625 de 2016 para 2017.

Avaliação

 

A SSP destacou em nota a queda nos índices. "Foram 100 vidas poupadas no período", informou.

A secretaria também afirmou que cresceu 5,11% o número de flagrantes de tráfico e que foram realizadas 10.779 prisões em 2017.

A Polícia Militar informou em nota na quinta-feira (25) que a região foi a que mais reduziu homicídios. "Enquanto o estado de SP reduziu 6,5%, a região Metropolitana do Vale do Paraíba apresentou redução de 24,6%", afirmou.

"O comando da Polícia Militar assumiu o compromisso de reduzir os crimes violentos e atingimos nossa meta", disse a PM. "O trabalho de rede com os demais órgãos de segurança e prefeituras tem surtido grande efeito nos indicadores", finalizou.

(Fonte: G1)
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.