Empresas de ônibus querem tarifa de até R$ 5,46 em São José dos Campos

Se for aceito o valor de R$ 5,46, a tarifa subirá 33%. As companhias justificam o pedido de aumento está previsto em contrato.

23 JAN 2018   |   Por Jornalismo  |   09:44
Foto: Arquivo
Empresas de ônibus querem tarifa de até R$ 5,46 em São José dos Campos
Último reajuste aconteceu em julho de 2017

s três empresas de ônibus que operam em São José dos Campos pediram reajuste no valor da passagem. Se aprovada pela prefeitura, a tarifa atual de R$ 4,10 pode ser elevada para até R$ 5,46 - teto sugerido por uma das empresas. O pedido foi encaminhado pelo governo à Câmara na quinta-feira (18). A prefeitura informou que vai analisar os pedidos e que não há definição sobre aumento.

As companhias justificam o pedido de aumento afirmando que ele está previsto em contrato. Além disso, elas consideram a elevação necessária para manter o equilíbrio financeiro do serviço. A Expresso Maringá também pede o fim da passagem mais barata aos domingos.

A empresa Expresso Maringá sugeriu tarifa de R$ 5,46; a CS Brasil R$ 5,23; e a Saens Peña quer R$ 5,36. Os valores foram calculados pelas empresas levando em conta o benefício da isenção de 3% no ISSQN que as concessionárias têm. (leia mais abaixo). Normalmente a prefeitura concede reajuste abaixo dos valores pedidos pelas empresas

O último reajuste concedido às empresas do transporte coletivo em São José foi em abril do ano passado, quando o preço da passagem subiu R$ 0,30. Desta vez, se for aceito o valor de R$ 5,46, a tarifa subirá 33%.

O valor está acima da inflação dos últimos oito meses, quando houve o último reajuste, que é de 1,9%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

De acordo com as empresas, de janeiro a outubro de 2017, R$ 72 milhões usaram os ônibus, o que equivale a 7,2 milhões passageiros por mês.

 

ISS

 

No ano passado houve uma discussão sobre a isenção do Imposto Sobre Serviço (ISS) para as empresas. As concessionárias não pagam o tributo desde 2014, quando os vereadores aprovaram o projeto de isenção apresentado pelo ex-prefeito Carlinhos Almeida (PT), que garantiu a ausência da cobrança até dezembro de 2016. No início de 2017, o prefeito Felício Ramuth (PSDB) manteve o benefício para as empresas.

Outro lado

 

A prefeitura informou em nota que o contrato prevê o reajuste anual da tarifa, mas que ainda não está definido se haverá elevação no preço da passagem. "Não é possível afirmar se haverá ou não o aumento, tão pouco se atingirá os patamares solicitados pelas empresas."

De acordo com a administração, o pedido será analisado "considerando aspectos contratuais como progressão inflacionária, dissídio da categoria e reajustes de combustíveis", informou.

A BusVale, que representa as empresas de transportes de passageiros, não comentou.

(Fonte: G1)
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.