Arquidiocese de Aparecida convoca fiéis a se envolverem na política

Projeto 'Eu Sou o Brasil Ético' foi lançado nesta terça no Santuário

03 JAN 2018   |   Por Jornalismo  |   09:11
Foto: Arquivo Meon
Arquidiocese de Aparecida convoca fiéis a se envolverem na política
Para arcebispo, católicos não podem ficar de 'braços cruzados'

Em ano de eleições federais, o Santuário de Nossa Senhora, em Aparecida, vai convocar os fiéis a se envolverem de forma mais ativa na política do país. Nesta terça-feira (2), a Arquidiocese lançou a campanha 'Eu Sou O Brasil Ético', que convida a uma reflexão sobre o atual momento político do país.

De acordo com o arcebispo Dom Orlando Brandes, a ideia da campanha surgiu após um ano que escancarou diversas facetas da corrupção no cenário político nacional. O religioso afirma que a política deve ser encarada como uma obra social e que este ano eleitoral não será igual aos outros.

“Depois da comprovação de que nossa política deve melhorar muito, pensamos em realizar uma campanha a favor da ética para ajudar a população a não cair no pessimismo e, sobretudo, não perder a esperança no caminho político, que é a única forma de promover mudanças em nossa sociedade. Devemos lembrar que a própria mãe de Deus teve atuação política”, afirma.

Ele acrescenta que a campanha não se trata de eleger uma bancada católica ou fazer propaganda para partidos políticos. A intenção é trazer os fiéis para o debate e até incentivar aqueles que têm vontade de se arriscar na vida política.

“Todo cidadão que se candidata à política está entrando numa missão. É preciso pensar no povo, trabalhar os critérios de ética, retidão e honestidade. Atualmente nem todos fazem da política esta missão, muitos aproveitam-se para interesse próprio”, afirma.

O arcebispo ainda citou exemplos pelo país de pastorais que auxiliam no preparo de pessoas que querem se candidatar, oferecendo uma espécie de escola para leigos. A iniciativa, de acordo com ele, deu certo em outras cidades.

“Em Londrina, por exemplo, foi realizada esta proposta. Das 90 pessoas que se inscreveram, cinco foram eleitas. A igreja não pode ficar omissa. Precisamos de políticos com critérios cristãos e humanos”, afirma.

Legislativo

Além de sugerir a preparação de candidatos, o movimento ainda pede aos fiéis que acompanhem as ações do Legislativo, indo à sessões de Câmara de sua cidade e também cobrando sobre decisões e votações de seu candidato.

“É legítimo a gente acompanhar o desenvolvimento da política no Legislativo. A Pastoral Política faz este trabalho. De acompanhar, fiscalizar e cobrar coerência do candidato com as promessas de campanha e os discursos nas próprias casas legislativas”, diz.

(Fonte: Meon)
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.