'Fiquem tranquilos', diz presidente da Embraer sobre possível fusão com a Boeing

O comunicado foi postado em um blog na intranet um dia depois que a fabricante brasileira confirmou que negocia uma fusão com a americana Boeing. CEO tenta tranquilizar os funcionários da companhia.

27 DEZ 2017   |   Por Jornalismo  |   08:24
Foto: Paulo Whitaker/Reuters
'Fiquem tranquilos', diz presidente da Embraer sobre possível fusão com a Boeing
Paulo Cesar de Souza e Silva, que assumiu presidência da Embraer em julho de 2016

Quero tranquilizá-los quanto ao futuro da nossa Embraer. Tenham a certeza de que, se vier a se concretizar, essa parceria será muito boa para todos", disse Paulo Cesar Silva, presidente da Embraer em mensagem interna de fim de ano aos trabalhadores. O comunicado foi postado em um blog da companhia um dia depois que a fabricante brasileira confirmou que negocia uma fusão com a Boeing. (leia comunicado na íntegra abaixo)

No texto, ele reforça que embora não haja confirmação sobre o fechamento de um acordo, acredita que as duas empresas terão benefícios em caso de união. Ele ainda se comprometeu, em caso de evolução das negociações, que manteria os gestores informados. 

Sobre as dúvidas e receios dos trabalhadores, como a especulação sobre o risco de demissões, ele destacou que uma parceria desse porte caso ocorra é muito complexa e ainda há muito a ser dicutido e aprovado, inclusive com o governo - que já manifestou que não cogita transferir o controle da empresa brasileira fabricante de aeronaves

Para o presidente da companhia, essa parceria é uma evolução natural de uma longa história de colaboração entre as duas empresas aeroespaciais e que o objetivo da parceria é o crescimento da Embraer e a preservação de empregos. 

"Juntas, Boeing e Embraer têm produtos e serviços complementares e poderão alavancar o know-how em engenharia e tecnologia e os esforços em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. Além disso, expandir a capacidade de produção e força global de vendas", disse.

Leia abaixo o comunicado na íntegra: 

Caros colegas,

Ontem (21/dez), confirmamos nossas discussões com a Boeing sobre uma potencial combinação dos nossos negócios. Embora não haja garantia de que fecharemos um acordo, eu acredito que haverá benefícios muito positivos para as duas empresas, se viermos a nos unir.

Tenho certeza de que essa notícia impactou todos vocês e gerou muitas dúvidas, mas por enquanto não temos mais informações a adicionar. Uma parceria desse porte é muito complexa, há muito a ser discutido e aprovado, inclusive junto ao governo brasileiro, ás agências reguladoras, conselhos de administração e acionistas.

Quando as discussões evoluírem, me comprometo a informá-los. Nesse momento, quero tranquilizá-los quanto ao futuro da nossa Embraer. Tenham a certeza de que, se vier a se concretizar, essa parceria será muito boa para todos. A combinação da Boeing com a Embraer é uma evolução natural de uma longa história de colaboração entre dois líderes aeroespaciais globais com legados de inovação e excelência.

Juntas, Boeing e Embraer têm produtos e serviços complementares e poderão alavancar o know-how em engenharia e tecnologia e os esforços em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. Além disso, expandir a capacidade de produção e força global de vendas.

É importante ressaltar também que a Boeing tem um interesse genuíno em intensificar sua atuação no Brasil, e a parceria com a Embraer seria uma forma de crescimento e expansão.

Por isso, fiquem tranquilos com relação ao futuro da Embraer. Qualquer que seja o formato, combinação ou parceria, o objetivo será o sucesso e o crescimento da companhia e a preservação de empregos. Tenham certeza de que eu não estaria discutindo essa possibilidade se não fosse para benefício da Embraer, de vocês e das gerações futuras.

Finalmente, desejo a todos um Feliz Natal e um 2018 de muito sucesso) de grandes realizações e alegrias para vocês e suas famílias.


Um abraço,

Paulo Cesar (Paulo Cesar Silva CEO - EMBRAER)

 

Outro lado

 

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos no mesmo dia do comunicado do presidente da Embraer uma carta ao presidente Michel Temer para cobrar um posicionamento oficial e contrário a qualquer tipo de transação que represente a transferência de controle acionário da Embraer para a norte-americana Boeing. 

Este foi o primeiro passo do Sindicato para dar início a uma campanha nacional contra a venda da Embraer e por sua reestatização. Além da carta ao presidente Temer, o sindicato disse que vai enviar delegações a Brasília para discutir o assunto com governo. 

" A venda da Embraer, seja total ou parcial, representa a entrega de uma empresa estratégica para o país e de um patrimônio público que vem sendo construído há 48 anos pelos trabalhadores brasileiros", diz trecho da nota emitida pela entidade. 

 

Nota oficial

 

A Embraer não emitiu novo posicionamento sobre o tema. Em manifestação na quinta (22), a empresa forçou que a fusão está em negociação e não é uma medida já definida. "Não há garantias de que estas discussões resultarão em uma transação", informou em nota. 
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.