Traçado é o principal problema das rodovias no Vale e região, diz CNT

BR-459, que liga Lorena a Minas Gerais, foi a pior avaliada, classificada com geometria 'péssima'. A Oswaldo Cruz (SP-125) teve traçado classificado como 'ruim'. Outras quatro rodovias foram avaliadas como 'regular' no quesito.

08 NOV 2017   |   Por Jornalismo  |   09:40
Foto: Reprodução
Traçado é o principal problema das rodovias no Vale e região, diz CNT
Rodovia Oswaldo Cruz, conhecida pelas curvas sinuosas, foi classificada com traçado ruim

Geometria é o principal problema das rodovias que cruzam o Vale do Paraíba, litoral norte e região bragantina. Esse é o resultado da Pesquisa de Rodovias 2017 da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), divulgada nesta terça-feira (7). Dos dez principais corredores da região, seis têm o traçado classificado como 'regular', 'ruim' ou 'péssimo'.

A geometria faz referência ao traçado da estrada e considera elementos como curvas, distância de visibilidade e inclinação da pista, por exemplo. A escala da CNT vai de ótimo a péssimo.

A pior delas no item geometria, segundo a CNT, é a BR-459, que liga Lorena a Itajubá (MG). O corredor, que é responsabilidade do governo federal, foi avaliado como péssimo.

A Oswaldo Cruz (SP-125), que liga Taubaté a Ubatuba, conhecida pelas curvas sinuosas e íngremes no trecho serra, foi considerada ruim. O traçado da via restringe, por exemplo, o tráfego de coletivos na serra.

A Paulo Virgínio (SP-171), que liga Guaratinguetá a Cunha, foi avaliada com geometria regular. O traçado teve a mesma classificação na Rio-Santos (SP-55/BR-101); Fernão Dias (BR-381) e na Tamoios (SP-99), que liga São José dos Campos a Caraguatatuba.

A rodovia SP-50, que liga São José dos Campos a Monteiro Lobato, não foi avaliada pela CNT.

Ranking geral

 

A rodovia Dom Pedro 2º (SP-65), que liga Jacareí a Campinas, foi avaliada como a segundo melhor corredor do país no ranking CNT. A estrada foi classificada como ótima - a avaliação considera além da geometria, também sinalização e pavimentação. A média dos itens impõe a classificação geral.

Na classificação geral foram avaliadas como 'ótimo' ou 'bom', além da Dom Pedro; as rodovias Carvalho Pinto (SP-70); o trecho paulista da Dutra (BR-116); Tamoios; Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), que liga Taubaté a Campos do Jordão; Fernão Dias e Rio-Santos.

Destas, apenas a SP-123 e a Rio-Santos não são concedidas à iniciativa privada. Ambas são de responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

O trecho fluminense da Dutra foi avaliado como regular na classificação geral e de traçado. Também foram consideradas regulares na média geral a Oswaldo Cruz, a BR-459 e a Paulo Virgílio.

 

Outro lado

 

O DER esclareceu em nota que as rodovias Oswaldo Cruz, Paulo Virgílio e Rio-Santos têm traçado antigo, com a implantação original da via à meia encosta, inicialmente em terra e posteriormente foi executada a pavimentação das mesmas. Segundo o órgão, as intervenções para retificação de curvas e mudanças no traçado das rodovias são praticamente inviáveis, principalmente pelas restrições ambientais, pois a maior parte da extensão das rodovias está localizada em áreas de preservação permanente.

"Vale lembrar que as rodovias recebem manutenção e ampliação de elementos de segurança viária como defensas metálicas, defensas em concreto e conservação do pavimento sempre que necessários, bem como a habilitação de sinalização vertical e horizontal", disse o DER. O Departamento informa que mantém as rodovias em boas condições de trafegabilidade para garantir a segurança dos usuários.

Especificamente sobre a Rio-Santos, o Estado afirma que o empreendimento Nova Tamoios Contornos integra um pacote de investimentos voltados ao desenvolvimento da economia e do turismo do litoral norte paulista, e criará uma nova alternativa para o acesso a Caraguatatuba e São Sebastião. O tráfego rodoviário, especialmente o de caminhões e as viagens de longa distância, será desviado da área urbana para a nova via perimetral, com expectativa de redução de acidentes e aumento da a segurança para usuários, pedestres e ciclistas.

Ranking geral

 

A rodovia Dom Pedro 2º (SP-65), que liga Jacareí a Campinas, foi avaliada como a segundo melhor corredor do país no ranking CNT. A estrada foi classificada como ótima - a avaliação considera além da geometria, também sinalização e pavimentação. A média dos itens impõe a classificação geral.

Na classificação geral foram avaliadas como 'ótimo' ou 'bom', além da Dom Pedro; as rodovias Carvalho Pinto (SP-70); o trecho paulista da Dutra (BR-116); Tamoios; Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123), que liga Taubaté a Campos do Jordão; Fernão Dias e Rio-Santos.

Destas, apenas a SP-123 e a Rio-Santos não são concedidas à iniciativa privada. Ambas são de responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

O trecho fluminense da Dutra foi avaliado como regular na classificação geral e de traçado. Também foram consideradas regulares na média geral a Oswaldo Cruz, a BR-459 e a Paulo Virgílio.

 

Outro lado

 

O DER esclareceu em nota que as rodovias Oswaldo Cruz, Paulo Virgílio e Rio-Santos têm traçado antigo, com a implantação original da via à meia encosta, inicialmente em terra e posteriormente foi executada a pavimentação das mesmas. Segundo o órgão, as intervenções para retificação de curvas e mudanças no traçado das rodovias são praticamente inviáveis, principalmente pelas restrições ambientais, pois a maior parte da extensão das rodovias está localizada em áreas de preservação permanente.

"Vale lembrar que as rodovias recebem manutenção e ampliação de elementos de segurança viária como defensas metálicas, defensas em concreto e conservação do pavimento sempre que necessários, bem como a habilitação de sinalização vertical e horizontal", disse o DER. O Departamento informa que mantém as rodovias em boas condições de trafegabilidade para garantir a segurança dos usuários.

Especificamente sobre a Rio-Santos, o Estado afirma que o empreendimento Nova Tamoios Contornos integra um pacote de investimentos voltados ao desenvolvimento da economia e do turismo do litoral norte paulista, e criará uma nova alternativa para o acesso a Caraguatatuba e São Sebastião. O tráfego rodoviário, especialmente o de caminhões e as viagens de longa distância, será desviado da área urbana para a nova via perimetral, com expectativa de redução de acidentes e aumento da a segurança para usuários, pedestres e ciclistas.

A concessionária Tamoios, que administra a Tamoios, afirmou em nota que o traçado atual do corredor é muito antigo, tendo sido construída com parâmetros e conceitos da época.

"Quando as obras de duplicação do trecho de serra estiverem concluídos, em 2020, o trecho atual será todo de descida com pista dupla e acostamento. O trecho de subida será, então, a nova pista, com conceito e parâmetros modernos, transformando a rodovia dos Tamoios em um modelo de traçado", disse. A concessionária destacou que, de modo geral a classificação da Tamoios na pesquisa foi boa e que não acidente fatal na estrada há mais de um ano e 6 meses.

O Grupo Arteris, responsável pela Fernão Dias, informou que a rodovia é da década de 50 e 60 e que foi duplicada acompanhando o traçado original, com apenas algumas correções. "Trata-se de uma estrada sinuosa, com curvas e serras. A despeito desta condição, a concessionária tem feito investimentos constantes para aprimorar a qualidade da infraestrutura da via, as condições de trafegabilidade e principalmente a segurança dos usuários. É o caso por exemplo, da implantação de mais de 88 km de faixas adicionais", disse por meio da assessoria de imprensa.

A CCR NovaDutra, que administra a Dutra, destacou que a avaliação no trecho paulista, traçado do Vale do Paraíba, foi avaliado como bom. Sobre o trecho fluminense, considerado regular,afirmou em nota que desde o início da concessão faz investimentos para garantir a segurança dos motoristas.

Segundo a concessionária, foram investidos R$ 17 bilhões na modernização da corredor, o que causou redução dos acidentes fatais em 84% apesar do fluxo de veículos ter praticamente dobrado desde o início da operação da CCR.

O Dnit, responsável pela BR-459, foi acionado por email na noite desta terça-feira para se manifestar sobre a avaliação do corredor e possíveis medidas. O G1 aguarda o retorno.

(Fonte: G1)
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.