Sem radares, quantidade de multas de trânsito cai quase 70% em São José

Foram registradas neste ano, em média, 14,1 mil multas de trânsito por mês, no período entre janeiro e junho. De julho a setembro, sem os radares, essa média caiu para 4,6 mil.

19 OUT 2017   |   Por Jornalismo  |   10:59
Foto: Antônio Basílio/Prefeitura de São José
Sem radares, quantidade de multas de trânsito cai quase 70% em São José
Número de multas cai 70% sem radares em São José dos Campos

O número de multas de trânsito aplicadas em São José dos Campos caiu quase 70% a partir de julho deste ano, quando os radares deixaram de operar. Sem os equipamentos, o excesso de velocidade, principal infração cometida pelos motoristas nos meses anteriores, ficou sem fiscalização.

De acordo com balanço de multas, feito pela prefeitura a pedido do G1, foram registradas neste ano, em média, 14,1 mil multas de trânsito por mês, no período entre janeiro e junho. De julho a setembro, essa média caiu para 4,6 mil, uma redução de 67%.

O excesso de velocidade era o principal motivo das multas até julho deste ano, assim como durante 2016 inteiro. Em junho de 2017, por exemplo, das 15.318 penalidades registradas, 9.404 foram por trafegar acima do limite previsto na via.

A partir de agosto, o excesso de velocidade deixou de ser fiscalizado, com o fim do contrato entre a prefeitura e a empresa operadora dos equipamentos. As cinco principais infrações verificadas no mês foram por outros motivos: estacionamento irregular; dirigir falando ao celular; dirigir sem cinto de segurança; avançar o sinal vermelho e não usar o farol baixo à noite.

Ao todo, em 2016 foram registradas 166,6 mil multas de trânsito. Até setembro deste ano, foram 98,7 mil infrações.

 

Preocupação

 

Os radares deixaram de funcionar porque terminou o contrato da prefeitura com a operadora responsável pelo serviço de fiscalização e uma nova empresa não foi contratada a tempo. São José tem 178 pontos de fiscalização na cidade.

Sem os radares, moradores reclamam do abuso de velocidade dos motoristas. "As pessoas sabem que não tem fiscalização e aproveitam para andar em alta velocidade, pois sabem nada vai acontecer", disse o aposentado Nivaldo Furlam, que mora na avenida Eduardo Cury, no Jardim das Colinas.

Os radares na via foram instalados em maio e operaram por cerca de dois meses. Mais de 33 mil veículos passam pela via diariamente.

Licitação

 

Um processo de licitação foi aberto para contratar uma firma que deverá restabelecer o serviço. Ele foi suspenso por recomendação do Tribunal de Contas e retomado na última terça-feira (10). A previsão é de que a empresa seja selecionada no próximo dia 24.

A prefeitura afirma que, enquanto a empresa não é contratada, faz a fiscalização de trânsito com o uso de câmeras do COI e que agentes intensificam o trabalho nos locais de maior necessidade.

(Fonte: G1)
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.