Promessa para a saúde, contratação de médico por consulta 'engatinha' em S. José

Projeto pretende realizar 110 mil consultas em seis meses. Em quase dois meses, apenas dois médicos começaram a atuar e realizaram 92 atendimentos.

29 09 2017   |   Por Jornalismo  |   10:11
Foto: Marcela Mesquita/TV Vanguarda
Promessa para a saúde, contratação de médico por consulta 'engatinha' em S. José
Médicos irão atuar nas UBSs do munícipio

Após quase dois meses da abertura do edital para cadastramento de médicos interessados em receber por consulta, apenas dois profissionais começaram a atuar nas Unidades Básicas de Saude (UBS) em São José dos Campos (SP). Das 110 mil consultas que o governo espera fazer em seis meses, apenas 92 foram realizadas até esta quinta-feira (28) - menos de 1% do total.

O modelo de contratação foi anunciado pela prefeitura como saída para ampliar a oferta de consultas médicas à população. O governo defende que não consegue profissionais para a rede e que o déficit é de 52 médicos. Pelo edital lançado em agosto, o especialista atenderia por hora, sem vínculo com a prefeitura, e receberia pelo período trabalhado.

De acordo com a Secretaria de Saúde, dois médicos, clínicos gerais, aderiram ao modelo até o momento. Uma médica começou a trabalhar na UBS do Parque Industrial na última semana e fez 10 horas de consultas, sendo que quatro pacientes são atendidos por hora. Já outro médico começou a atender nesta terça-feira (26) no unidade do Jardim das Industrias e oferta 8 horas de trabalho por semana.

O valor pago por consulta é de R$ 22, calculado, segundo a prefeitura por uma média do valor pago pela tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) e o valor pago pela rede privada.

 

Avaliação

 

Mesmo com a procura abaixo do esperado, a prefeitura considera o projeto positivo. “É uma novidade ainda tanto para a gente quanto para os médicos. Muitos profissionais estão vindo a procura do edital, pegar qual documentação é necessária. Esperamos que mais médicos comecem a se cadastrar”, afirmou a diretora de atenção básica do município, Carolina Buck.

A prefeitura afirma que também aposta em outras formas para suprir o déficit de médicos. Entre elas está em andamento o processo de contratação da empresa que realizará um concurso público para novos médicos.

“O credenciamento está aberto para recebermos mais médicos e não tem previsão de ser encerrado. Trabalhamos com horas extras e tem a previsão do concurso público para suprir essa falta. Por enquanto, não tem previsão para conseguir todos esses médicos, mas estamos trabalhando intensamente para isso”, disse.

O Conselho Regional de Medicina (Cremesp), que criticou o projeto quando divulgado e afirmou que investigaria os médicos que aderissem, informou que as apurações ainda estão em curso.

(Fonte: G1)
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.