Vice-prefeito de São José do Barreiro é preso por estupro, diz polícia

Homem de 76 anos teria abusado de meninas de 11 e 13 anos, uma delas é parente dele. Polícia diz que político usou poder para barrar investigação.

03 JUL 2017   |   Por Jornalismo  |   15:38
Foto: Divulgação/Polícia Civil
Vice-prefeito de São José do Barreiro é preso por estupro, diz polícia
Vice-Prefeito de São José do Barreiro foi preso acusado de estuprar duas jovens na pousada que manté

Vice-prefeito de São José do Barreiro, Nelson Ribeiro (PR) foi preso na manhã desta segunda-feira (3) por estupro de vulnerável. Segundo a Polícia Civil, ele teria abusado de duas meninas, de 11 e 13 anos, na pousada que mantém na cidade. A polícia ainda aponta que ele teria usado o poder político para tentar barrar as investigações.

O caso chegou aos conhecimento da polícia no fim de junho, depois que o Ministério Público aionou a Polícia Civil. A ocorrência teria ocorrido em fevereiro, quando as meninas teriam ido brincar na piscina da pousada do político, que tem 76 anos. Uma delas é parente do vice-prefeito.

Segundo o testemunho das vítimas, o vice-prefeito teria aproveitado a ausência dos pais e teria acariciado as partes íntimas delas, além de encostar o órgão genital em uma delas. Pela lei, qualquer ato libidinoso envolvendo menores de 14 anos é considerado estupro.

Nelson Ribeiro foi preso temporiamente na manhã desta segunda na Santa Casa de Cruzeiro, onde permanece sob escolta. De acordo com a polícia, ele está internado por oscilações cardíacas e pneumonia. A prisão tem validade de 30 dias, podendo ser prorrogada - a intenção é que ele não atrapalhe a investigação. Assim que receber alta ele pode ser encaminhado à cadeia.

A polícia ainda apura o crime de prevaricação por parte de integrantes do executivo, que teriam tentado encobrir o ato do político, segundo a polícia. Caso seja provado, os envolvidos podem responder criminalmente. A pena é de três meses a um ano de prisão.

Denúncia

O caso veio à tona depois de um projeto da Secretaria de Educação levar às escolas orientações sobre abusos de menores, em maio deste ano.

Ao assistir a explicação, uma das vítimas teria identificado o abuso e informou a professora. A Polícia conta que após a denúncia das duas alunas, as professoras chamaram as mães e acionaram a Secretaria de Educação.

“O processo comum é que a secretaria acione a polícia para investigar e o conselho tutelar para acompanhar as meninas, mas o que aconteceu foi o contrário. O caso foi levado ao alto escalão do executivo, que tentou blindar as investigações”, disse o delegado responsável pelo caso, Eduardo Sardinha.

A denúncia teria chegado à secretaria em maio, mas a Polícia Civil foi acionada apenas em junho, por intervenção do MP. A polícia ainda apura a tentativa de coação das mães para que não fizessem a denúncia. Uma delas, parente do vice-prefeito, chegou a mudar de endereço por medo de retaliações.

Outro lado

Nenhum representante do vice-prefeito, sendo familiar ou advogado, retornou para comentar a acusação. O G1 aguardava até a publicação da reportagem.

Por telefone, o prefeito de São José do Barreiro, Lê Braga (PMDB), informou que não houve blindagem do caso por parte da Secretaria de Educação.

Segundo ele, o caso chegou ao conhecimento do setor por meio de uma carta escrita por uma das vítimas. "Primeiramente, a secretaria acionou a mãe da jovem, orientando todos procedimentos que ela precisaria tomar. Como notaram que ela não deu sequência ao caso, a própria Secretaria da Educação acionou a Justiça", garantiu o prefeito.

O político disse também que a atual administração abomina e combate esse tipo de crime, independente de quem seja o autor. Informou também que a prefeitura vai aguardar as investigações da polícia para adotar um posicionamento em relação ao vice.

(Fonte: G1)
















Classificados

Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.